SALAD DAYS

with one comment

Retrato de João Ferro Martins por Luisa Cunha

Retrato de João Ferro Martins por Luisa Cunha

Falar de fotografia sem fotografia, falar de música sem a presença desta. Foi na ESAD das Caldas da Rainha que João Ferro Martins (n.1979, Santarém) começou a desenvolver as suas obras à volta das suas obsessões, seja a máquina fotográfica da AGFA, popular nos anos 80, a Agfamatic 55C, seja uma peça do compositor György Ligeti. Bem a propósito, o que unifica as esculturas que apresenta nesta edição dos 7/10 é a música. Uma das peças apresentadas é a união entre um amplificador e uma guitarra, literalmente atados um ao outro, e claramente alvo de um incêndio, não sabemos se um acidente ou fogo posto. Noutra obra, reinventa a “Fat Chair” de Joseph Beuys com um amplificador em cima de uma cadeira. Tem também, juntamente com Hugo Canoilas, a dupla A Kills B, que realiza performances, onde toca bateria enquanto a totalidade do espaço, onde o instrumento e o músico se encontram, é pintado de uma única cor. SP

Advertisements

Written by msdove

October 3, 2008 at 1:20 pm

One Response

Subscribe to comments with RSS.

  1. Como a sua própria arte…o joão é assim, sempre presente mesmo quando não´o está… Adorei a exposição, e também esta ideia fabulosa de de retratar o artista pela mão de outro artista! Parabéns a todos!

    silvia ferro martins

    October 8, 2008 at 10:40 am


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: