SALAD DAYS

Archive for the ‘Alexandre Farto’ Category

ALEXANDRE FARTO

leave a comment »

Alexandre Farto por Vasco Araújo

Retrato de Alexandre Farto por Vasco Araújo

Nasceu em 1975. Vasco Araújo expõe regularmente desde o fim dos anos 90 e é um dos artistas da sua geração com maior projecção internacional. O seu trabalho mantêm desde sempre uma forte ligação ao imaginário da ópera e ao canto, que também pratica. Participou, entre outras exposições, na Bienal de Sydney, Bienal de Veneza e tem obras nas colecções, entre outras, do Museu Rainha Sofia, Madrid e Centro Georges Pompidou, Paris.

Esperar pelo momento exacto em que um comboio entra na gare e tem de esperar 15 minutos para ocupar o lugar de outro. Não é muito tempo, são minutos úteis para, numa posição estratégica, invisíveis aos demais, os putos grafitarem uma das carruagens. Quantos mais fossem, mais o desenho ficava completo, elaborado. O tempo era mesmo só aquele e depois a “obra” é retirada, desaparece. Eram acções de grupo premeditadas, os desenhos eram estudados, tu fazes isto, eu faço aquilo. Foi assim que VHILS passou a sua adolescência, dos 13 aos 16. A ver passar comboios, a estudá-los, a marcar-lhes as rotas, a intervir. A desenhar, a criar sem a pressão de uma escola, ou de ser um puto com “jeito para o desenho”. Alexandre Farto nasceu em 1987 e não se perdeu pelos comboios da sua margem sul. Depressa transpôs as suas criações para uma enorme variedade de suportes e contextos muito diferentes. O Alexandre é também AMDF (siglas dos seu nome) quando faz ilustrações para jornais e revistas para além do seu tag na rua ser VHILS (não quer dizer nada era só mesmo porque estas eram as suas letras favoritas para desenhar), mas agora, acima de tudo, é Alexandre Farto, quando faz exposições e coloca o seu trabalho num contexto artístico como o fez recentemente em Elvas na abertura do Museu da Colecção António Cachola, numa intervenção fora do espaço do museu, num paiol nas muralhas que ladeiam a cidade ou quando faz exposições com a sua galeria, ou melhor, Agência de Arte Vera Cortês.
Aos 20 anos, o aparentemente calmo rapaz Alexandre, faz coisas que parecem de homem de 30. Trabalha non-stop para acabar uma instalação da mesma maneira que ensina os miúdos de uma comunidade cigana no Peso da Régua a pintarem os muros do seu bairro, da mesma maneira, ainda, que anda neste momento em digressão com os Buraka Som Sistema a fazer os vídeos dos seus concertos, a fazer de VJ. E faz cartazes, e filma e fotografa a pensar em projectos futuros. Alguém que cresceu a criar em bando nunca pode ter a visão do artista fechado no atelier debruçado no “seu” trabalho. Como muitos artistas hoje, ele “faz” em movimento, a andar de poiso em poiso e muitas vezes em colaboração. Seja no Peso da Régua a coordenar workshops para o projecto “Velhos Guetos Novas Centralidades” seja no meio de Lisboa a intervir no Promontório Arquitectos, um espaço interior e exterior, um atelier de arquitectura que em 2006 abriu as suas portas à colaboração entre Miguel Maurício, arquitecto e VJ do Lux (2m) e Alexandre Farto (ver imagem). Colaboração que depois disso ainda deu frutos, 2m + Alexandre Farto fizeram os vídeos da festa DIYT em Abril passado no Lux (façam search no youtube) e outras avizinham-se brevemente. O futuro para AF reserva pelo menos alguns anos em Londres num curso de Fine Arts na afamada Saint Martins School (que ingressou em 2007) . Esta é uma pista para o futuro, já falei de ontem e de hoje. Agora deixo a música que ouve:

YOU ARE THE MUSIC
(10 ou + favoritos de sempre)

«History» J Dilla/ «Apache», Incredible Bongo Band/ «Be», Common/ «Brother Where Are You?», Freddie Cole/ «Bus Stop Biddies», RJD2/ «Misdemeanor», Foster Sylvers/ «Drop it like it’s hot», Snoop Dogg feat. Pharrell Williams/ «Gobstopper», J Dilla/ «Move On Up», Curtis Mayfield/ «Consequence», The Good, The Bad, The Ugly/ «Shaft», Isaac Hayes/ «Snake Eyes», David Holmes/ «Across 110th Street», Bobby Womack

MUSIC IS MY RADAR
(10 ou + músicas/álbuns/autores/géneros para trabalhar)

DJ Shadow/ RJD2/ David Holmes/ Yann Tiersen/ Shigeru Umebayashi/ Carlos Paredes/ Marvin Gaye/ Neptunes/ Ngonguenha/ Talib Kweli/ Chullage/ M.I.A./ Balkan Beat Box/ Kalaf+Type/ Prefuse 73/ The Go Team!

HEY MUSIC LOVER
(10 ou + músicas/bandas que andes a ouvir hoje)

David Holmes/ Curtis Mayfield/ J Dilla/ DJ Shadow/ Immortal Technique/ Sam the Kid/ The Roots/ Talib Kweli/ Mf Doom/ Le Tigre/ Jazzanova/ The White Stripes/ DJ Premier/ The Avalanches/ Seu Jorge

HIT MUSIC
(10 ou + guilty pleasures)

«Summer in Paris», DJ Cam/ «Hollaback Girl», Gwen Stefani/ «Rehab», Amy Winehouse/ «D.A.N.C.E.», Justice/ «Frontin», Pharrell ft Jay-Z/ «Say it Right», Nelly Furtado/ «Idealistic», Digitalism/ «Signs», Snoop Dogg feat. Justin Timberlake/ «Heard ’em Say», Kanye West/ «Mr. Me Too», Clipse/ «T.K.O.», Le Tigre/ «Camel Toe», Fannypack’s

LOST IN MUSIC
10 (que vais levar de certeza contigo) para o futuro

«Donuts», J Dilla/ «Ocean’s Thirteen» BSO, David Holmes/ «Be», Common/ «Detroit Deli», Slum Village/ «The Beautiful Struggle», Talib Kweli/ «Still Dree», Dr.Dree/ «Food & Liquor», Lupe Fiasco/ «Movimento Perpétuo», Carlos Paredes/ «Renegades of Funk», Rage Against the Machine/ «Sabotage», Beastie Boys/ «2046», BSO Shigeru Umebayashi

EXIT MUSIC (for a film)
Escolhe uma música que sirva de banda sonora a esta página

«Ghostwriter», RJD2

Building 3 Steps (c/ Miguel Maur�cio)

Building 3 Steps (c/ Miguel Maur�cio)

Museu de Arte Contemporânea de Elvas

Empty Faces

Empty Faces

Written by msdove

February 1, 2008 at 9:21 am